TOLERÂNCIA ZERO PARA A NEGATIVIDADE

 

Semelhante atrai semelhante

Uma atitude positiva da vida é fundamental para a boa saúde mental.

Se a sua vibração é negativa vai atrair mais negatividade. Ao contrário, se for positiva, vai atrair mais dessa qualidade.

Podemos desenvolver novas habilidades e abrir novas vias neurais. Novas vias neurais são necessárias para mudanças de comportamento.

Aqui eu reuni nove práticas que chamo de tolerância zero para a negatividade. Pratique por um mês e perceba os resultados!

  1. RESPIRAÇÃO CONSCIENTE

Respirar e saber que está respirando. A respiração tem três fases. A inspiração é a tomada do ar, no pulmão ocorre as trocas gasosas e isso leva um tempo até o ar sair (expiração). O efeito imediato é ficar no momento presente. Quando estamos no momento presente aproveito cada instante da vida. A gratidão e a contemplação ganham espaço. Respirar consciente segundo o monge budista Thich Nhat Hanh é o primeiro passo na prática do amor próprio. Ao respirar consciente eu tomo ciência das minhas emoções e das minhas necessidades. Praticar várias vezes ao dia.

  1. BOTÃO DE PAUSA

Essa prática reúne a respiração consciente, a contemplação e o agradecimento. Uma vez por dia escolher algo, pode ser uma planta, um animal de estimação ou qualquer outra coisa. Pare o que você está fazendo, respire 10 vezes de forma consciente e contemple o objeto escolhido. Essa prática reúne de respiração e concentração (contemplação e agradecimento). Você vai viver uma experiência profunda de paz e plenitude!

  1. NEUSALDINA

Prática para espantar pensamentos negativos. Importante ressaltar que nem todos os pensamentos negativos devem ser espantados assim que brotam. É preciso entender suas raízes, significados e aprender com ele. Uma vez que este pensamento não agrega, pelo contrário desestabiliza, está na hora de dispensá-lo. Pratique a neusaldina: 1) Pense ou repita: cancele, cancele, cancele. Estale os dedos enquanto falar. 2) Respire três vezes em profundidade. 3) Visualizar e sentir a mente pintada de azul. 5) Repetir a nutrição: “eu sou bem-vinda ao mundo”. Praticar sempre que se deparar com um pensamento obsessivo e desequilibrante.

  1. UM ELOGIO POR DIA

Uma vez por dia faça um elogio a alguém, pode estar relacionado a algo material, como a roupa ou cabelo da pessoa. Se não tiver esta oportunidade pode elogiar uma planta, o céu, você mesmo ou Deus. Quando eu ando na rua, costumo escolher uma planta, paro diante dela e penso hoje você é a planta mais linda do universo! Ao fazer isso sinto todo o meu ser sendo invadido pelo amor incondicional. É indescritível!!

  1. MENTE DE PRINCIPIANTE

A mente de principiante é uma das nove atitudes de mindfulness. Escolher algumas ações para fazer como se fosse a primeira vez que você está fazendo. Ficar no momento presente, se livrar dos julgamentos. Traga a sua criança interior que é curiosa. Se livre das expectativas e esteja aberta(o) para qualquer coisa que vier. Com essa prática a vida flui muito melhor, inclusive os pensamentos negativos não conseguiram fazer ninho na sua mente.

  1. FAZER O BEM DE FORMA ANÔNIMA

Uma vez por semana, faça o bem de forma anônima para uma pessoa, animal ou planta. Coisa simples. Pode ser um bombom que você deixa na mesa do colega de trabalho ou orar por alguém. Fazer doações para ongs ou instituições de caridade também são boas opções.

  1. OLHAR AMOROSO

Uma vez por semana. Escolha um dia para olhar a todos e tudo com olhar amoroso. Aquele olhar que a mamãe dá ao filho ou quando a gente vê um gatinho ou cachorrinho. Isso vai soltar a musculatura do rosto, diminuindo a tensão. Quando diminuímos a tensão nossa mente fica melhor oxigenada e mais resiliente.

  1. DAR MUITA RISADA

Espantar o mal humor é essencial para atrair boas vibrações. Ria de si mesmo, assista a filmes de comédia, escute piadas. Traga graça e beleza para a sua vida.

  1. PERGUNTA MÁGICA

Duas vezes por dia, de manhã e à noite, pergunte-se: qual é a minha necessidade agora? Isso os ajuda a reconhecer desejos ou necessidades e traz o sentimento de autocompaixão. Em seguida, verifique se você pode atender essa necessidade ou se ela precisa ser avaliada.

Tags

Compartilhe essa informação

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Comentários