A Sabedoria do Trauma

A Sabedoria do Trauma - Cura da Criança Interior

Esse artigo centra-se no documentário THE WISDOM OF TRAUMA com Dr. Gabor Maté com ênfase nos traumas da infância e carrega também concepções da Psicoterapia Hakomi, a qual sou especializada.

A Sabedoria do Trauma

As novas experiências ainda no útero formam o modelo de quem acreditamos ser, de como vemos as outras pessoas e do nosso lugar no mundo. Todas as fases do desenvolvimento humano são potencialmente traumáticas. Trauma não é algo necessariamente grande e visível como costumamos considerar. Um choro não atendido, um olhar mais endurecido do pai, uma fala mais ríspida da mãe pode ser o suficiente para o estabelecimento de traumas, especialmente nas crianças altamente sensíveis (P.A.S.). De qualquer forma é uma ameaça avassaladora qual a qual a criança não tem os elementos internos necessários para lidar.

Trauma é uma desconexão com o ser e com a vida. É o padrão comum para praticamente todas as aflições, doenças mentais e doenças físicas segundo o Dr. Maté. Há sabedoria no trauma quando percebemos que nossas respostas traumáticas não são quem somos e que podemos trabalhá-las e assim, nos tornamos quem somos de verdade.

Por que nos desconectamos? Porque é muito doloroso sermos nós mesmos. E isso se torna uma dinâmica para toda a vida. Como eu fico com dificuldade de lidar com minhas emoções, então há desconexão. Também significa que quando tenho intuições eu não as sigo e assim crio situações de risco para mim. E é por isso, provavelmente, que reencenamos o mesmo sofrimento, que o mesmo tipo de experiência volta numa repetição de padrões.

Um ponto chave do documentário é quando o Dr. Maté afirma: “Trauma não são as coisas ruins que acontecem com você, mas o que acontece dentro de você como resultado do que aconteceu com você”. O trauma ocorreu porque a criança não teve um adulto saudável para atender algumas de suas necessidades. Ela segurou sozinha, não teve ninguém para conversar de forma compassiva.

A Grande Escolha

A maioria de nós fica completamente sozinha com seus traumas na infância. Para processar, ocorre uma escolha inconsciente entre segurança ou liberdade.

Todas as crianças têm necessidades básicas como segurança, liberdade, ser valorizada, ter apoio, ser ouvida etc. Dentre todas destaco a SEGURANÇA (que o Dr. Gabor nomeia como apego) e liberdade. 

A segurança promove o atendimento das necessidades materiais, comida, casa, roupas etc. Além da segurança material há também a emocional: eu sou aceita do jeito que sou, eu sou amada de forma incondicional. Já a liberdade é a expressão criativa para ser quem viemos para ser. É a nossa essência, a identidade.

A nossa condição biológica de primatas, nos obriga a escolher a segurança, com poucas exceções. Pelo simples fato de que seu eu não pertenço a algum grupo eu posso morrer, sendo expulsa do bando.

Só que não há garantias! Haverá sofrimento e traumas independente da escolha. Se eu escolher a segurança vou sacrificar a minha essência e se a escolha for liberdade vou pagar o preço do não pertencimento, do exílio.

Um caminho muito comum é a criança se responsabilizar pelo sofrimento. Se eu estou dando trabalho e meus pais estão com raiva é porque sou ruim, a culpa é minha. A criança não tem os elementos necessários para analisar que os pais não sabem lidar com suas próprias emoções ou mesmo que são maldosos. Isso é muito mais doloroso.

Nos próximos artigos vamos trazer os casos reais que o Dr. Gabor Maté abordou no documentário. Quero fechar lindamente com essa frase: Não é o que há de errado com você e sim o que aconteceu de errado com você.

Por Neusa Tamaio.

Compartilhe essa informação

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Comentários